PEDAGOGIA DO OPRIMIDO: DO MANUSCRITO AO TEXTO ESCRITO

Autores

  • Eduardo Arriada
  • Gabriela Medeiros Nogueira
  • Silvana Maria Bellé Zasso

DOI:

https://doi.org/10.47249/rba.2017.v1.222

Palavras-chave:

Pedagogia do Oprimido. Produção e circulação. Paulo Freire, Alfabetização

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar a trajetória da obra Pedagogia do Oprimido, desde a sua concepção, elaboração do manuscrito, até chegar ao texto impresso. Utilizando a teoria do circuito da comunicação de Darnton, e o da circulação e apropriação de Chartier, buscamos compreender as diversas etapas de gestação dessa obra. Para tanto, o próprio manuscrito, bem como as diversas edições da Pedagogia do Oprimido, foram utilizadas para construir as nossas análises. Cabe salientar a importância do livro Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido, pois nele também encontramos pistas que permitem conhecer  o que Freire vinha idealizando. Por fim, destacamos a inegável contribuição dessas obras de Freire para o campo da alfabetização no Brasil.

Referências

BEISIEGEL, Celso de Rui. Política e educação popular. A teoria e a prática de Paulo Freire no Brasil. 4º edição. Brasília: Líber Livro, 2008, 378p.

_____________ Estado e educação popular: um estudo sobre a educação de adultos. São Paulo: Pioneira, 1974, 280p.

CARDOSO, Aurenice. Conscientização e Alfabetização: uma visão prática do sistema Paulo Freire. S/l; s/ed.; s/ano. [Folheto, 18 p.].

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel; Editora Bertrand Brasil, 1990, 239p.

______________ Do livro à leitura [77-105]. In: CHARTIER, Roger (Org.). Práticas da leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 1996. 266p.

______________Os desafios da escrita. São Paulo: Editora Unesp, 2002, 144p.

____________ A mão do autor e a mente do editor. São Paulo: Editora Unesp, 2014, 352p.

CORVALAN, Antonio. Prologo a la edición chilena. In: FREIRE, Paulo. La Educación como practica de la libertad. Santiago: ICIRA, 1972, 136p.

DARNTON, Robert. O grande massacre dos gatos e outros episódios da história cultural francesa. Rio de Janeiro: Graal, 1986, 363p.

___________ O lado oculto da Revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1988, 218p.

______________ O Iluminismo como negócio: história da publicação da “Enciclopédia” (1775-1800). São Paulo; Companhia das Letras, 1996, 550p.

______________A questão dos livros: passado, presente e futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 2010, 231p.

_____________ Os boêmios: Marquês de Pelleport. São Paulo: Companhia das Letras, 2015, 314p.

FEITOSA, Sonia C. S. Educação de Adultos: Método de Paulo Freire. 2ª ed. Brasília: Liber Livros Editora, 2011, 175p.

FIORE , Ernani Maria. Aprenda a dizer sua palavra (Prefácio), [01-15]. In: Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1974, 218p.

FREITAS, Ana Lúcia Souza de. Conscientização (Verbete: 99-100). In: STRECK, Danilo R.; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime (Orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Paulo Freire: uma história de vida. Indaiatuba: Villa das Letras Editora, 2006, 655p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido (Manuscrito). 1968, 92p.

_________Pedagogy of the oppressed. New York: Herder and Herder, 1970, 186p.

_________Pedagogia del oprimido. Montevido: Tierra Nueva, 1970, 250p.

_________Pädagogik der Unterdrückten. Stuttgart-Berlin: Kreuz-Verlag, 1971, 219p.

_________La Pedagogia degli oppressi. Italia: Arnoldo Mondadori Editore, 1971, 223p.

_________Pedagogy of the oppressed. England: Penguin Books, 1972, 153p.

_________Pédagogie des opprimés. Paris: François Maspero, 1974, 205p.

_________Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974, 218p.

_________Concepção “bancária” da educação e a desumanização. A concepção problematizadora da educação e a humanização. Santiago do Chile, ICIRA, 1967, 28p.

__________Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993, 245p.

___________Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967, 150p.

___________La Educación como Práctica de la Libertad. Santiago de Chile: ICIRA, 1972, 154p.

___________?Extension o comunicacion? La concientización en el médio rural. Montevideo: Tierra Nueva, 1972, 109p.

___________Conscientisation and liberation (Conversation with Paolo Freire, 42-51). In: Développement & Civilisations. Revue Trimestrielle, nº 51, Janvier/Mars, 1973, 64p.

___________Cultural Action for Freedom. Massachussets: Penguin Books, 1975, 91p.

___________Educação & Atualidade Brasileira. São Paulo: Cortez Editora; Instituto Paulo Freire, 2001, 123p.

FREIRE, Paulo; MACEDO, Donaldo. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994, 167p.

GADOTTI, Moacir (Org.). Paulo Freire: uma biobibliografia. São Paulo; Cortez Editora; Instituto Paulo Freire, 1996, 765p.

__________ Convite à leitura de Paulo Freire. São Paulo: Editora Scipione, 1989, 175p.

GIROUX, Henry A. Um livro para os que cruzam fronteiras. In: GADOTTI, Moacir (Org.). Paulo Freire: uma biobibliografia. São Paulo; Cortez Editora; Instituto Paulo Freire, 1996, 765p.

GRENN, Elliot (2016). What are the most-cited publications in the social sciences (according to Google Scholar)?.The Impact Blog, The London School of Economics and Political Science.Disponível em:

http://blogs.lse.ac.uk/impactofsocialsciences/2016/05/12/what-are-the-most-cited-publications-in-the-social-sciences-according-to-google-scholar/

MCLAREN, Peter; LEONARD, Peter; GADOTTI, Moacir (Org.). Paulo Freire: poder, desejo e memórias da libertação. Porto Alegre: Artmed, 1998, 212p.

PAIVA, Vanilda Pereira. Educação popular e educação de adultos. São Paulo: Loyola, 1973, 367p.

PEÑALONZO, Jacinto Ordóñez. O corte epistemológico de Paulo Freire. In: GADOTTI, Moacir (Org.). Paulo Freire: uma biobibliografia. São Paulo; Cortez Editora; Instituto Paulo Freire, 1996, 765p.

PINTO, Álvaro Vieira. Ideologia e desenvolvimento nacional. Rio de Janeiro: Mec/Iseb, 1956, 45p.

ROMÃO, José Eustáquio. Entrevista com Jacques Chonchol (20 de agosto de 2013). In: FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido (o manuscrito). Projeto editorial, organização, revisão e textos introdutórios de Jason Ferreira Mafra, José Eustáquio Romão, Moacir Gadotti. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire; Universidade Nove de Julho, 2013, 233p.

SOUZA, Ana Inês (Org.). Paulo Freire. Vida e obra. São Paulo: Expressão Popular, 2001, 368p.

SPIGOLON, Nima Imaculada. Pedagogia da convivência: Elza Freire – uma vida que faz educação. Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. Campinas, SP: [s.n.], 2009.

SPIGOLON, Nima Imaculada. As noites da ditadura e os dias de utopia... O exílio, a educação e os percursos de Elza Freire nos anos de 1964 a 1979. Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação – Campinas, SP : [s.n.], 2014.

STRECK, Danilo R; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (Org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, 443p.

_____________Paulo Freire Encyclopedia. Lanham: Rowman & Littlefield Publishers, 2012, 463p.

TELLERI, Fausto. O significado da libertação na prática. In: GADOTTI, Moacir (Org.). Paulo Freire: uma biobibliografia. São Paulo; Cortez Editora; Instituto Paulo Freire, 1996, 765p.

TORRES, Carlos Alberto et ali. Prefácio. In: FREIRE, Paulo. Educação & Atualidade Brasileira. São Paulo: Cortez Editora/Instituto Paulo Freire, 2001, 123p.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva; ANDREOLA, Balduino Antonio. Freire e Fiori no exílio: um projeto pedagógico-político no Chile. Porto Alegre: Editora Ritter dos Reis, 2001, 176p.

Publicado

2018-01-16

Como Citar

Arriada, E., Medeiros Nogueira, G., & Bellé Zasso, S. M. (2018). PEDAGOGIA DO OPRIMIDO: DO MANUSCRITO AO TEXTO ESCRITO. Revista Brasileira De Alfabetização, 1(6). https://doi.org/10.47249/rba.2017.v1.222

Edição

Seção

DOSSIÊ: PAULO FREIRE: CONTRIBUIÇÕES QUE TRANSCENDEM FRONTEIRAS NO CAMPO DA EDUCAÇÃO E DA ALFABETIZAÇÃO