BENEDITO E JOVELINA: A HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO DE TRABALHADORES RURAIS EM GOIÁS NOS ANOS SESSENTA (SÉCULO XX)

Autores

  • Maria Emilia de Castro Rodrigues UFG
  • Juliano Guerra Rocha Secretaria de Educação de Goiás
  • Diane Valdez UFG

Palavras-chave:

Benedito e Jovelina, história da alfabetização em Goiás, Movimento de Educação de Base em Goiás

Resumo

A experiência de produção de impressos do Movimento de Educação de Base (MEB) foi um marco na alfabetização e pós-alfabetização de trabalhadores rurais no estado de Goiás. Dentre outros materiais e métodos, destacamos a produção de um Conjunto Didático eminentemente goiano para subsidiar o processo de alfabetização de jovens e adultos. Trata-se de Benedito e Jovelina, um material baseado no sistema Paulo Freire, concebido pela equipe local do MEB-Goiás. Tomando como objeto de estudos esse impresso, problematizamos: como foi o processo de produção de Benedito e Jovelina? Quais as marcas da proposta de alfabetização de Paulo Freire nessa produção didática? Em quais aspectos a materialidade desse Conjunto Didático revela concepções inerentes para o processo de ensino de leitura e escrita dos camponeses goianos? O artigo tem por objetivo analisar o Conjunto Didático Benedito e Jovelina, compreendendo a sua história, as concepções de alfabetização presentes, a influência de Paulo Freire na educação de jovens e adultos em Goiás durante os anos sessenta, especialmente no limiar da ditadura militar de 1964.

Referências

ANDREOTTI, Azilde Série graduada “Brasília”. 2010. Acervo Digital da Biblioteca Infanto- juvenil Monteiro Lobato. Disponível em: <http://acervohistoricodolivroescolar.blogspot. com/2010/>. Acesso em: 04 de fevereiro de 2019.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Método Paulo Freire? São Paulo: Brasiliense, 1991.

BRASIL. Decreto no 50.370, de 21 de março de 1961. Dispõe sôbre um programa de edu- cação de base, e adota medidas necessárias à sua execução através de Escolas Radiofô- nicas nas áreas subdesenvolvidas do Norte, do Nordeste e do Centro-0este do País a ser empreendida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 12 de dezembro de 2019.

BRASIL. Decreto no 53.465, de 21 de janeiro de 1964. Institui o Programa Nacional de Alfabetização do Ministério da Educação e Cultura e dá outras providências. Disponível: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-53465-21-janei- ro-1964-3935 08-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 13 de janeiro de 2019.

BRASIL. FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO. Informe 46/2017. Livros Didáticos destinados à EJA. Novembro de 2017. Disponível em: <https://www.fnde. gov.br/>. Acesso em: 10 janeiro de 2019.

BRASIL. FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO. Resolução n.o 51, de 16 de setembro de 2009. Dispõe sobre o programa do Livro Didático para Educação de Jovens e Adultos (PNLD EJA). Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_ docman&view=download&alias=10026-resolucao-512009secadi&category_slug=fevereiro- 2012-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 10 janeiro de 2019.

BRÉSCIA, Dayse. Brasília – 1o livro de leitura. 4. Ed. São Paulo: Livraria Francisco Alves, 1962.

CASTRO, Ruth Cavalcanti Garcia de. MEB: uma estratégia de comunicação com o homem do campo. 1992. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, 1992.

CUNHA, Alda Maria Borges. Aspectos metodológicos del uso de La radio em la educacion de adultos. Santiago do Chile: Secretariado de Comunicação Social: SEDECOS, agosto de 1970.

FÁVERO, Osmar e FÁVERO, Maria de Lourdes. Educação de Base. In: Boletim. no 5. Rio de Janeiro: ACB/CBB, 1962, Coleção Documentos e Estudos de Educação, Série C.

FREIRE, Nita. Palavra aberta – o legado da obra de Paulo Freire para a educação global contra-hegemônica. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 35, 2019.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pen-

samento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978. FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 30. Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

GALVÃO, Ana Maria; SOARES, Leôncio José Gomes. História da alfabetização de adultos no Brasil. In: ALBUQUERQUE, Eliana Borges; LEAL, Telma Ferraz (Orgs.). A alfabetização de jovens e adultos em uma perspectiva de letramento. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

GOIÁS. Lei Estadual n.o 18.969, de 22 de julho de 2015. Aprova o Plano Estadual de Edu- cação, para o decênio 2015/2025 e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 21 de janeiro de 2020.

IGBE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD. 2018. Disponível em: . Acesso em: 17 de janeiro de 2020.

MACIEL, Francisca Izabel Pereira. Proposta de Paulo Freire para a alfabetização. In: FRA- DE, Isabel Cristina Alves da Silva et al (Orgs.). Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: UFMG, FaE, 2014.

MARITAIN, Jacques. Humanismo integral: uma visão nova da ordem cristã. Tradução de Afrânio Coutinho. 4. Ed. São Paulo: Dominius, 1962.

MEB. Educação de Base. Rio de Janeiro: MEB, 1962. 7 p. (mimeo).

MEB. Regulamento. Rio de Janeiro: MEB, 1961 (mimeo).

MEB-GOIÁS. Benedito e Jovelina. Goiás: MEB-Goiás, 1964. 30 p. (mimeo).

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. O I Seminário Internacional sobre História do En- sino de Leitura e Escrita. In: MORTATTI, Maria do Rosário Longo (Org.). Alfabetização no Brasil: uma história de sua história. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2011.

PEIXOTO FILHO, José Pereira. A travessia do popular na contra-dança da educação: o Movimento de Educação de Base: análise da experiência do estado de Goiás. 1985. 280 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Fundação Getúlio Vargas, Instituto de Estudos Avançados em Educação, Departamento de Filosofia da Educação, Rio de Janeiro, 1985.

REVISTA DA ARQUIDIOCESE. Conferência Nacional dos Bispos do Brasil: Movimento de Educação de Base. Regulamento. In: Revista da Arquidiocese. Ano V, no VIII, Goiânia, jul./dez. 1961.

RODRIGUES, Maria Emília de Castro. “Enraizamento de esperança”: as bases teóricas do Movimento de Educação de Base em Goiás. 2008. 316 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, 2008.

ROJO, Roxane. Alfabetização e letramentos múltiplos: como alfabetizar letrando? In: RANGEL, Egon de Oliveira; ROJO, Roxane Helena Rodrigues. Língua Portuguesa: ensino fundamental. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010.

ROTEIRO PARA O MONITOR. MEB-GOIÁS. 11 p. In: PEIXOTO FILHO, José Pereira. A tra- vessia do popular na contra-dança da educação: o Movimento de Educação de Base: análise da experiência do estado de Goiás. 1985. 280 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Fundação Getúlio Vargas, Instituto de Estudos Avançados em Educação, Departamento de Filosofia da Educação, Rio de Janeiro, 1985.

SAFATLE, Vladimir. À sombra da ditadura. 2012. Disponível em: <https://vermelho.org. br/2012/02/07/vladimir-safatle-a-sombra-da-ditadura/>. Acesso em: 01 de fevereiro de 2020.

SANTOS, Máximo de Moura. Prefácio. In: BRÉSCIA, Dayse. Brasília – 1o livro de leitura. 4. Ed. São Paulo: Livraria Francisco Alves, 1962.

VIDAL, Diana Gonçalves; ABDALA, Rachel Duarte; Costa, Ana Luiza Jesus da. O Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação (NIEPHE) e sua contri- buição para a história da alfabetização no Brasil. In: MORTATTI, Maria do Rosário Longo (Org.). Alfabetização no Brasil: uma história de sua história. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2011.

Publicado

2020-03-25

Edição

Seção

DOSSIÊ