Sobre a Revista

Foco e Escopo

A REVISTA BRASILEIRA DE ALFABETIZAÇÃO é um periódico científico editado pela ABAlf - Associação Brasileira de Alfabetização. Tem como objetivo principal constituir-se em um fórum de debate, por meio da reunião e divulgação da produção acadêmico-científica que contribua para reflexão e ação referentes às várias dimensões da alfabetização, entendida como processo de ensino e de aprendizagem iniciais da leitura e escrita a crianças, jovens e adultos. 

A Revista busca estimular a produção original do campo de estudos da Alfabetização e áreas afins e publica artigos, de autores brasileiros e estrangeiros, escritos em português ou em espanhol, francês, italiano e inglês.

Publica artigos, ensaios, traduções e revisões bibliográficas, resultantes de pesquisas originais e com abordagem inédita. Também publica entrevistas e resenhas de obras recentemente publicadas, de caráter acadêmico ou literário. 

A revista se reserva o direito de encomendar, à comunidade científica, dossiês e trabalhos de interesse sobre o tema.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os artigos/ensaios são avaliados previamente pelo Conselho Consultivo, que examinará a adequação dos critérios formais e temáticos determinados pela política editorial da revista.

O períodico adota o sistema double-blind peer review, visando a preservar o anonimato de pareceristas e autores, assim como assegurar avaliação, de forma objetiva e imparcial, do mérito do trabalho.

Os textos são encaminhados, a, no mínimo, dois pareceristas ad hoc, especialmente escolhidos em função da sua competência na área, comprovada por publicações em periódicos de seletiva política editorial. Em caso de divergências entre os pareceres, os textos serão enviados a um terceiro parecerista.

Cada artigo/ensaio terá um parecer indicando a sua aceitação ou recusa, ou, então, a recomendação para reformulações, com indicação de que, se o autor decidir submeter novamente o texto reformulado, será também submetido a novo processo de avaliação. Cada parecerista deverá elaborar um parecer circunstanciado, apreciando: os aspectos estruturais e formais do texto; a originalidade e rigor da temática e sua abordagem;  a pertinência e relevância do tema com relação à linha editorial da revista; a densidade teórica no tratamento da temática e na sua problematização; o diálogo com e as contribuições para estudos consolidados no campo da alfabetização e em áreas afins.

As resenhas e traduções serão avaliadas pelo Conselho Consultivo. Com exceção, dos textos apresentados em espanhol, os textos apresentados nos idiomas francês, inglês e italiano serão traduzidos para o português, por tradutor indicado e contratado pela Comissão Editorial da revista.  

 

Periodicidade

A REVISTA BRASILEIRA DE ALFABETIZAÇÃO é um periódico científico com periodicidade semestral.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

INDEXADORES E BASES DE DADOS

DIADORIM

LATINDEX

Directory of Open Acess Journal (DOAJ, Suíça)

 

Histórico do periódico

Na 32ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), em 2009, foi apresentada, pela primeira vez, a proposta de criação de Associação Brasileira de Alfabetização (ABALF), com o objetivo de constituir-se em espaço de referência para discussões e proposições sobre Alfabetização e processos afins.

A partir de então, a proposta foi também discutida nos eventos I SIHELE (FFC, Unesp, campus de Marília), em 2010, e 33ª Reunião Anual da ANPEd, em 2010. A criação da ABALF  foi aprovada, em 2012, durante o 18º COLE, na Faculdade de Educação, da UNICAMP. 

         A ABALF em seu estatuto previu a criação de um periódico  científico, com periodicidade semestral, editado pela Associação. Para tal, foi instituída uma comissão composta pelas professoras Cleonara Maria Schwartz (UFES), Isabel Cristina Alves da Silva Frade (UFMG), Norma Sandra de Almeida Ferrari (UNICAMP) e Maria do Rosário Longo Mortatti (UNESP-Marília) para dar prosseguimento ao projeto do periódico. A comissão trabalhou na organização do Sistema de Editoração Eletrônica da Revista e na organização do número especial que marca oficialmente o início do periódico. 

Vale destacar que a Revista da ABALF tem como objetivo principal constituir-se em um fórum de debate, por meio da reunião e divulgação da produção acadêmico-científica que contribua para reflexão e ação referentes às várias dimensões da alfabetização, entendida como processo de ensino e de aprendizagem iniciais da leitura e escrita a crianças, jovens e adultos.