AMBIÊNCIAS FORMATIVAS DE PROFESSORES ALFABETIZADORES NA CULTURA DIGITAL

MULTIMODALIDADE E MULTILETRAMENTOS NO PIBID

Autores

  • Adriana Rocha Bruno UNIRIO
  • Terezinha Fernandes Martins de Souza UFMT

DOI:

https://doi.org/10.47249/rba.v%2513.457

Palavras-chave:

Formação de professores, Cultura digital, Multimodalidade, Multiletramentos, Pibid

Resumo

O  presente artigo tem como objetivo discutir sobre a produção multimodal em ambientes digitais refletindo sobre o seu alcance como mobilizadora de multiletramentos na formação de professores alfabetizadores. Os estudos apresentados, de cunho qualitativo, se inscrevem na concepção de pesquisa-formação na cibercultura (Santos, 2014) e discutem os espaços digitais de formação do professor alfabetizador em uma perspectiva social e de abordagem crítica (Street, 2014). São apresentadas duas experiências desenvolvidas no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), realizadas com a atuação das autoras em duas instituições públicas de Ensino Superior, em que os multiletramentos são desenvolvidos em interface com a cultura digital. As experiências de pesquisa-formação apresentadas possibilitaram aos praticantes culturais envolvidos vivências de uso, apropriação e produção com artefatos e linguagens da cultura digital, compreendendo-os como espaços de formação para a docência e, ao mesmo tempo, de atuação com os alunos e alunas na escola.

Referências

BRUNO, Adriana Rocha, COUTO, João Luiz P. Culturas contemporâneas: o digital e o ciber em relação.

Revista Educação e Cultura Contemporânea. Volume 16, Número 43, 2019. Disponível pelo endereço:

http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/view/5848/47965986 Acesso em 10/01/2020.

CATTO, Nathália Rodrigues. A relação entre o letramento multimodal e os multiletramentos na literatura

contemporânea: alinhamentos e distanciamentos. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 10, n. 2, p. 157-163, abr./

jun. 2013.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: artes de fazer. Editora Vozes. 3ª ed. Petrópolis, 1998.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. (Org). O planejamento da Pesquisa Qualitativa: teorias e abordagens.

ª ed. Tradução Sandra Regina Netz. Porto Alegre: Artmed, 2006.

MARQUES, Eliana de S. A.; CARVALHO, Maria Vilani Cosme de. Vivência e Afetação na sala de aula: um diálogo

entre Vigotski e Espinosa. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 23, n. 41, p.

-50, jan./jun. 2014. Disponível em https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/822/580 Acesso

em: 10/02/2020.

MASSCHELEIN, Jan, SIMONS, Maarten. Em defesa da escola: uma questão pública.Tradução Cristina Antunes.

ª edição. São Paulo: Autêntica, 2013. Disponível pelo endereço: http://www.gpef.fe.usp.br/teses/em_defesa_

da_escola.pdf Acesso em 10/01/2020.

NÓVOA, Antônio. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa. v.47

n.166 p.1106-1133 out./dez. 2017.

SANTAELLA, Lucia. Matrizes da Linguagem e Pensamento: sonora, visual e verbal. 3ª Ed. São Paulo: Iluminuras:

FAPESP, 2005.

SANTOS, Edméa. Pesquisa-Formação na Cibercultura. Santo Tirso PT: WHITEBOOKS, 2014.

SANTOS, Edméa. Docência na cibercultura: notas de uma pesquisa-formação multirreferencial. In MACEDO,

Roberto Sidnei (et al). Currículo e Processos Formativos: experiências, saberes e culturas. Salvador: UFBS,

(Escritos formaceanos em perspectiva).

STREET, Brian. Letramentos Sociais: Abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na

educação. Tradução Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

SOUZA, Terezinha Fernandes Martins de. Ondas em Ressonância: Letramentos Digitais de Estudantes na

Universidade Aberta de Portugal. 2016. 362f. Tese. (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Santa

Catarina (UFSC), Florianópolis - SC, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/167716

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TOASSA, Gisele. Emoções e vivências em Vigotski. Campinas, SP: Papirus, 2011.

TOASSA, Gisele; SOUZA, M. P. R. As vivências: questões de tradução, sentidos e fontes epistemológicas no

legado de Vigotski. Psicologia USP. São Paulo, v. 21, n. 4, p. 757-779, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.

br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65642010000400007&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 26 janeiro

VIGOTSKY, Lev Semionovitch. Psicologia da Arte. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

Publicado

2020-12-03

Como Citar

Bruno, A. R. ., & Souza, T. F. M. de. (2020). AMBIÊNCIAS FORMATIVAS DE PROFESSORES ALFABETIZADORES NA CULTURA DIGITAL: MULTIMODALIDADE E MULTILETRAMENTOS NO PIBID. Revista Brasileira De Alfabetização, (13), 57-70. https://doi.org/10.47249/rba.v%13.457

Edição

Seção

DOSSIÊ