PROFESSORAS BEM SUCEDIDAS

NARRATIVAS DA CONSTITUIÇÃO DOS SABERES E DAS PRÁTICAS ALFABETIZADORAS

Autores

Palavras-chave:

Práticas alfabetizadoras, Professor alfabetizador experiente, Narrativas autobiográficas

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar e discutir como se deu a constituição dos saberes e das práticas pedagógicas bem-sucedidas de três professoras alfabetizadoras, da rede municipal de Ensino de Rondonópolis, Mato Grosso (MT), ao longo do desenvolvimento profissional docente. Essas professoras são experientes e, consideradas bem-sucedidas/referências pelos seus pares, gestores e comunidade escolar. A natureza da pesquisa é qualitativa, tendo como instrumento de coleta de dados as narrativas autobiográficas. Na análise dos dados destaca-se as práticas alfabetizadoras bem-sucedidas e o apoio pedagógico que as professoras realizam com os alunos, considerando que todos têm possibilidade em aprender.

Biografia do Autor

Marly de Souza Brito Farias, Escola Municipal Mário de Andrade

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso (1990). Especialização em Projetos Educacionais pela Universidade Salgado de Oliveira. Mestrado em Educação, Cultura e Processos Formativos, Linha de Pesquisa Formação de Professores e Políticas Públicas Educacionais pela Universidade Federal de Mato Grosso (2019), assessora pedagógica/formadora de professores - Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Rondonópolis - (SEMED), coordenadora pedagógica da Escola Municipal Mário de Andrade e professora da Prefeitura Municipal de Rondonópolis. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na Coordenação Pedagógica, na formação de professores/Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: projeto formação de professor iniciante/semed/roo., formação continuada., professor em início de carreira., desenvolvimento profissional. e professora bem sucedida.

Rosana Maria Martins, Universidade Federal de Rondonópolis

Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação Ciências e Artes Dom Bosco de Monte Aprazível (1985), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012) e doutorado em Formación del Docente Universitario pela Universidade de Extremadura (2006), convalidado pela Universidade do Minho (2013) e UNICAMP (2015) e doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2015). Professora da Universidade Federal de Mato Grosso no Departamento de Educação e no Programa de Mestrado em Educação. É vice-coordenadora do Grupo de Pesquisa InvestigAção.

Referências

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto Editora LDA, 1994. Porto – Portugal.

CHARLOT, B. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013 - (Coleção docência em formação: saberes pedagógicos).

CONTRERAS; José Domingos. Relatos de experiência, em busca de um saber pedagógico. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador, v. 01, n. 01, p. 14-30, jan./abr. 2016.

CONTRERAS; J.; PÉREZ DE LARA, N. Introducción. In: CONTRERAS; J.; PÉREZ DE LARA, N. F. (Comps). Investigar la experiência educativa. Madrid: MORATA, 2010. p.15-19.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção Leitura).

FRANCO, Maria Amélia do Rosário Santoro. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012. (Coleção Docência em Formação: Saberes Pedagógicos/ Coordenação Selma Garrido Pimenta).

JOSSO, M. Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa, 2002.

LARROSA, J. Experiência e alteridade em educação. 2011. Disponível em: <https://files.passeidireto.com/d973a209-dd9a-4178-b178-a882002aa9be/bg1.png>. Acesso em: 11 set. 2018.

LUCKESI, C. C. O que é mesmo o ato de avaliar a aprendizagem? Disponível Pátio On-line Pátio. Porto alegre: ARTMED. Ano 3, n. 12 fev./abr. 2000.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem. Estudos e proposições. 3. Ed. São Paulo: Cortez, 1996.

MARCELO, C. Los comienzos en la docencia: un profesorado con buenos princípios. Professorado - Revista de Curriculum e Formação de professor. V. 13, Nº 1, p. 1-26, 2009.

MONTEIRO, M. I. Histórias de vida: saberes e práticas de alfabetizadoras bem-sucedidas. 2006. 282f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-04122007-155302/pt-br.php>. Acesso em: 23 jul. 2017.

MORAIS, Artur Gomes de. Sistema de Escrita Alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

NÓVOA, A. Por que é que não fazemos aquilo que dizemos que é preciso fazer? Anais... IV Congresso Internacional sobre Professorado Principiante e Inserção Profissional à Docência - IDEA. Curitiba-PR, 2014.

REALI, A. M. M. R; MIZUKAMI, M. G. N. Desenvolvimento profissional da docência: teorias e práticas. São Carlos: 351 p. 109, EdUFSCar: Editora e Gráfica Vida e Consciência São Paulo, novembro 2012.

RIOS, Terezinha Azerêdo. Compreender e ensinar: por uma docência da melhor qualidade/ 6. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SARMENTO, M. A vez e a voz dos professores: contributo para o estudo da cultura organizacional da escola primária. Porto: Porto Editora, 1994.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 2ªed. Belo Horizonte: Autêntica,

b.

SOUZA, Elizeu Clementino de. O Conhecimento de si: narrativas do itinerário escolar e formação de professores. Tese de Doutorado. Terra 2004. https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10267/1/Tese_Elizeu%20Souza.pdf. Acesso em: 07 jan 2019.

SOUZA, E. C. de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Educação. Santa Maria | v. 39 | n. 1 | p. 39-50 | jan./abr. 2014.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 4. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

VEIGA, I. P. A. A prática pedagógica do professor de Didática. 2. ed. Campinas: Papirus, 1992.

WEISZ, Telma. O Diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, 1996.

Publicado

2022-07-05

Como Citar

Brito Farias, M. de S., & Martins, R. M. (2022). PROFESSORAS BEM SUCEDIDAS: NARRATIVAS DA CONSTITUIÇÃO DOS SABERES E DAS PRÁTICAS ALFABETIZADORAS. Revista Brasileira De Alfabetização, (17). Recuperado de https://revistaabalf.com.br/index.html/index.php/rabalf/article/view/613

Edição

Seção

DOSSIÊ