POLÍTICA DE FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL

O QUE A ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS, JOVENS, ADULTOS E IDOSOS TEM A VER COM ISSO?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47249/rba2021536

Palavras-chave:

Financiamento da educação; Política educacional; Alfabetização.

Resumo

O estudo, de natureza bibliográfica, problematiza as políticas de financiamento da educação básica no Brasil, abordando suas dimensões legal, socioeconômica e implicações para a alfabetização de crianças, jovens, adultos e idosos. Realiza-se um breve levantamento bibliográfico nos anais da Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação (FINEDUCA) à luz da perspectiva teórico-metodológica crítico-dialética. Constata-se que, entre conquistas e retrocessos, o fundo público de financiamento da educação vem sendo bastante disputado, com fortes implicações no direcionamento da política educacional brasileira. Nesse contexto, o processo de alfabetização está implicado em fortes determinações históricas, culturais e socioeconômicas em um movimento político de rupturas, resistências e tensionamentos.

Biografia do Autor

Lourival José Martins Filho, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professor da UDESC -SC

 

Presidente da Associação Brasileira de Alfabetização. Professor Titular de Alfabetização do Departamento de Pedagogia, Programa de Pós-Graduação em Educação, Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação, Coordenador do Programa Olhares - Saberes e Fazeres em Alfabetização, Coordenador Institucional do Programa Residência Pedagógica e Coordenador de Pós-Graduação da Universidade do Estado de Santa Catarina. Representante catarinense no FORPIBID/RP. Integrante do GT10 - Alfabetização, Leitura e Escrita da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Estágio pós doutoral na Escola de Educação e Humanidades - PUC/PR. Atualmente realiza e orienta projetos de ensino, pesquisa e extensão com ênfase na formação docente e no processo de alfabetização de crianças, jovens, adultos e idosos em interface com as politicas educacionais e as práticas curriculares.

Fabricio Spricigo, Instituto Federal de Santa Catarina

Doutorando e Mestre em Educação. Atua como Pedagogo na Educação Profissional, Científica e Tecnológica, lotado no Instituto Federal de Santa Catarina. Possui Especializações em Supervisão e Orientação Educacional, bem como em Metodologia e Prática Interdisciplinar do Ensino. É membro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Educação (ANPED) e do Grupo de Pesquisa Didática e Formação Docente (NAPE/UDESC). Linha de Pesquisa: Políticas Educacionais, Ensino e Formação, vinculado ao Doutorado em Educação da UDESC. 

https://orcid.org/0000-0002-3888-2243

 

Referências

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO (FINEDUCA). Carta de Natal (RN). Natal 25 ago. 2017. Disponível em: <https://www.fineduca.org.br/wp-content/uploads/2019/01/Carta-de-Natal.pdf>. Acesso em: 7 jun. 2021.

BRASIL. Constituição Federal da República Federativa do Brasil de 1988. [Constituição (1988)]. Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016. Disponível em: <https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf?sequence=1>. Acesso em: 14 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 14 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 20 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, jun. 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm>. Acesso em: 14 jun. 2021.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 dez. 2016. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm>. Acesso em: 14 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 14.113, de 25 de dezembro de 2020. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), de que trata o art. 212-A da Constituição Federal; revoga dispositivos da Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 dez. 2020. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2021.

FATTORELLI, Maria Lucia; ÁVILA, Rodrigo. Auditar a dívida pública não é bobagem. Auditoria Cidadã da Dívida, 6 out. 2015. Disponível em: <https://auditoriacidada.org.br/conteudo/auditar-divida-publica-nao-e-bobagem> . Acesso em: 14 jun. 2021.

FATORELLI, Maria Lucia; ÁVILA, Rodrigo; MULLER, Rafael. Gastos com a dívida pública cresceram 33% em 2020. Auditoria Cidadã da Dívida, 25 jan. 2021. Disponível em: https://auditoriacidada.org.br/wp-content/uploads/2021/01/Grafico-Or%C3%A7amento-2020-Privil%C3%A9gio-dos-gastos-com-a-D%C3%ADvida-P%C3%BAblica-e-a-necessidade-de-Auditoria-VERSAO-FINAL.pdf. Acesso em 15 jun. 2021.

FERNANDES, Francisco das Chagas. Redefinição da Política de Financiamento da Educação Básica – FUNDEB, [2007]. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/textosecr/finedubafdbcamara.pdf>. Acesso em 15 jun. 2021.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados; Cortez, 1989.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Os circuitos da história e o balanço da educação no Brasil na primeira década do século XXI. Revista Brasileira de Educação. v. 16, n. 46, jan/abr 2011. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbedu/a/VJmZWSR66pkB3948p76yRVx/?format=pdf&lang=pt> . Acesso em 15 jun. 2021.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. Educar o trabalhador cidadão produtivo ou o ser humano emancipado? Revista Trabalho, Educação e Saúde, v. 1, n. 1, p. 45-60, mar. 2003. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/tes/a/JSYmSMnc7TKKrxWjm3xHLGd/?format=pdf&lang=p>. Acesso em: 14 jun. 2021

GLUZ, Micaela Passerino. O novo Fundeb é uma vitória? Análise das disputas políticas pelo projeto do novo Fundeb. FINEDUCA: Revista de Financiamento da Educação, v. 11, n. 10, p. 1-18, maio 2021. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/fineduca/article/view/110856/61675>. Acesso em: 14 jun. 2021.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

KUENZER, A. Z. Ensino Médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

MARTINS FILHO, Lourival José. Anos Iniciais do Ensino Fundamental e Paulo Freire: docentes em diálogo. Camine: Caminhos da Educação, v. 11, n. 1, p. 80-93, 2019. Disponível em: <https://ojs.franca.unesp.br/index.php/caminhos/article/view/2867>. Acesso em: 14 jun. 2021.

MOREIRA, Jani Alves da Silva. A política para o financiamento e gestão da educação no Brasil e Portugal (1990-2010): proximidades e distanciamentos. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO – FINEDUCA, V., Natal, 2017. Anais […]. São Paulo: FINEDUCA, 2017. p. 1-5. Disponível em: <http://www.fineduca.org.br/wp-content/uploads/AnaisV/Politicas/politicas-2.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2021.

MORENO, Ana Heloisa Viana Silva. Focalização x universalização das políticas sociais brasileiras: limites e possibilidades no enfrentamento da pobreza e da desigualdade social. 2009. 99 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília, Brasília.

MOTTA, Vânia Cardoso da. Ideologias do capital humano e do capital social: da integração à inserção e ao conformismo. Trabalho, Educação e Saúde, v. 6, n. 3, p. 549-571, 2008.

NOGUEIRA, Silvia Cristina Conde; TAVARES, Darlyng Maria Gomes; BARROS, Hudson Valloais de Souza. O Orçamento Público para a Educação Brasileira, o contingenciamento de recursos e a Emenda Constitucional nº 95/2016. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO – FINEDUCA, VI., Campinas, 2018. Anais […]. São Paulo: FINEDUCA, 2018. p. 484-496. Disponível em: <http://www.fineduca.org.br/wp-content/uploads/2019/05/Eixo-Politicas-de-Financiamento-da-Educacao-Basica-e-Superior.pdf>. Acesso em 14 jun. 2021.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, Adriana. Política educacional como política social: uma nova regulação da pobreza. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 279-301, jul./dez. 2005.

PAZ, Sandra Regina; OLIVEIRA, Ramon de. A educação tecnológica e profissional como programa/política de Estado: análise da política nacional de qualificação profissional no Brasil. In: OLIVEIRA, Ramon de (Org.). Jovens, Ensino Médio e Educação Profissional: políticas públicas em debate. Campinas: Papirus, 2012.

PERGHER, Calinca Jordânia; SÔNEGO, Fabricia; FEITOSA, Luciano de Lima. Conselhos de controle social em ação e discussão: possibilidades e limitações. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO – FINEDUCA, VIII., [edição virtual], 2020. Anais […]. São Paulo: FINEDUCA, 2020. p. 22-26. Disponível em: <https://fineduca.org.br/wp-content/uploads/2020/12/Eixo-Politicas-de-Financiamento-da-Educacao-Basica-1.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2021.

SALES, Luís Carlos; CRUZ, Rosana Evangelista da. O financiamento da Educação no Plano Estadual de Educação do Piauí: inventariando um processo. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO – FINEDUCA, V., Natal, 2017. Anais […]. São Paulo: FINEDUCA, 2017. p. 1-6. Disponível em: <http://www.fineduca.org.br/wp-content/uploads/AnaisV/Politicas/politicas-39.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2021.

SPRICIGO, Fabrício. A assistência estudantil no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina: em análise o programa de atendimento ao estudante em vulnerabilidade social. 2016. 210 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis.

STOCKMANN, Daniel. Políticas de Financiamento da Educação no Brasil: impasses para a valorização docente. FINEDUCA: Revista de Financiamento da Educação, v. 11, n. 4, mar. 2021. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/fineduca/article/view/100305/61056>. Acesso em: 14 jun. 2021.

Publicado

2021-12-09

Como Citar

Martins Filho, L. J., & Spricigo, F. . (2021). POLÍTICA DE FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL: O QUE A ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS, JOVENS, ADULTOS E IDOSOS TEM A VER COM ISSO?. Revista Brasileira De Alfabetização, (15), 175-187. https://doi.org/10.47249/rba2021536

Edição

Seção

TEMA LIVRE